Blog do Guto: UFMA É MAIS UMA VEZ A GRANDE VENCEDORA DO PRÊMIO FAPEMA

Prêmio Especial Fapema foi concedido ao professor Ed Wilson Araújo, do Departamento de Comunicação

38871856581_e70653e4c4_z

A sede da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema) foi local de mais um grande resultado da Universidade Federal do Maranhão, quando a instituição teve o maior número de trabalhos premiados na solenidade do Prêmio Fapema 2017. A ocasião também foi das mais memoráveis na carreira do professor Ed Wilson Ferreira Araújo, do curso de Comunicação Social da UFMA, quando recebeu o troféu do Prêmio Especial Fapema. Além dele, outros 50 pesquisadores receberam, juntos, mais de R$ 200 mil em premiações, troféus e certificados por suas colaborações no desenvolvimento do Estado e da melhoria da qualidade de vida da população.

O Prêmio Fapema homenageou o jornalista e político Neiva Moreira, nascido em Nova Iorque do Maranhão, e, em 10 de outubro, se comemora o centenário de seu nascimento. Em vida, Neiva Moreira contribuiu com a democratização dos meios de comunicação na atuação política, além de ser o criador da Revista Cadernos do Terceiro Mundo, reconhecida no Brasil e em países da América Latina e África.

Mesmo indiretamente, Neiva Moreira foi um dos grandes influenciadores da trajetória profissional do professor Ed Wilson, que, na juventude, era leitor do periódico Cadernos do Terceiro Mundo. O docente, posteriormente, graduou-se em Jornalismo pela UFMA e se tornou doutor em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

Desde 1996, Ed Wilson, semelhante a Neiva Moreira, segue na busca pela democratização dos meios de comunicação, como militante do movimento de rádios comunitárias, colaborando, em 1998, com a criação da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Maranhão (Abraço-MA), onde hoje atua como presidente. Também é autor do livro “Rádios comunitárias no Maranhão: história, avanços e contradições na luta pela democratização da comunicação (Edufma). Produz e apresenta o programa “Revista Araruna”, aos domingos (9h às 10h), na rádio comunitária Araruna FM.

“Para mim, é uma grande alegria poder compartilhar com os lutadores e lutadoras que ajudaram a construir o movimento de rádios comunitárias e os movimentos sociais que atuam nesse campo. Neiva Moreira nos inspira muito por ter sido fundador da Revista Cadernos do Terceiro Mundo, e guardo comigo os ensinamentos dele e de cada comunicador e comunicadora popular do interior do Maranhão, onde ministrei, durante vinte anos, oficinas de capacitação em radiojornalismo, um contato fantástico que tive com todas essas pessoas. Divido esse prêmio com elas e com a Associação Brasileira de Rádios Comunitárias”, declarou o professor.

Premiações

Nesta edição, concorreram ao Prêmio Fapema estudantes do ensino médio, de graduação, mestres, doutores, pesquisadores, inventores, empresas inovadoras e pessoas que contribuíram para a preservação dos bens materiais e “saberes populares”, por meio de estudos, projetos e pesquisas que englobam diversas áreas da ciência, tecnologia e inovação. Além do Prêmio Homenagem Especial Fapema, a cerimônia prestou reconhecimento nas categorias Pesquisador Júnior, Jovem Cientista, Dissertação de Mestrado, Tese de Doutorado, Pesquisador Sênior, Periódico Científico, Jornalismo Científico, Inovação Tecnológica, Desenvolvimento Humano e Popvídeo Ciências.

A Fapema também homenageou personalidades com placas de Honra ao Mérito Científico-Tecnológico, em reconhecimento a pessoas que desenvolveram trabalhos em relevantes temas relacionados com a vida e o trabalho de Neiva Moreira. Na noite de gala da ciência do Maranhão, também foi concedida uma homenagem especial ao jornalista e docente do Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Maranhão, Francisco Gonçalves, atual secretário de Estado de Direitos Humanos.

“A Fapema tem feito algo de extraordinário, que é a valorização de outras formas de produção de conhecimento. É muito singular esta edição, porque Neiva Moreira representa um outro campo de produção de conhecimento, que é o jornalismo, área que tem um papel importante do ponto de vista da construção de uma agenda pública e de visibilidade do campo científico”, pontuou Gonçalves.

Para o professor e pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da UFMA, Allan Kardec, a solenidade foi um momento de nostalgia. “É uma alegria prestigiar os homenageados e premiados da nossa universidade. Como pró-reitor, também me faz lembrar os meus momentos no Prêmio em edições anteriores, quando também havia tido a alegria de ganhar um Prêmio Fapema”, declarou.

Para a reitora Nair Portela, o Prêmio Fapema é uma festa da ciência maranhense e dos pesquisadores. “A gente fica satisfeito, pois nossos pesquisadores sempre têm papel especial nessa premiação. Este ano, tivemos dois professores de Comunicação da Universidade com homenagem especial: Francisco Gonçalves, na área dos Direitos Humanos; e o professor Ed Wilson, pelo grande trabalho pelas rádios comunitárias. O reconhecimento da Fapema é o reconhecimento do Maranhão, por isso ficamos muito felizes pelos resultados e pelos investimentos à ciência no estado”, destacou.

Na ocasião, o presidente da Fapema, Alex Oliveira, destacou a evolução nos investimentos e no número de produções científicas maranhenses, que resultaram em melhores indicadores na educação e na produção de conhecimentos e tecnologia no Maranhão.

Veja aqui a lista dos premiados

Faça aqui o download das fotos 

Guttenbergg Pereira

Blog do Guto

%d blogueiros gostam disto: